HISTÓRICO DA REDE PUXIRÃO

A emergência de identidades coletivas no Brasil nas últimas décadas tem revelado a existência de diversos grupos étnicos, organizados em movimentos sociais, que buscam garantir e reivindicar direitos, que sempre lhes foram negados pelo Estado. Desta forma, compreendem-se sem exaustão os motivos para o qual um país tão diverso em sua composição étnica, racial e cultural, a persistência de conflitos oriundos de distintas visões de mundo e modos de vida, que desencadeiam desde o período colonial, lutas pela afirmação das identidades coletivas, territorialidades especificas e reconhecimento dos direitos étnicos.



Na região Sul, especialmente no Paraná e Santa Catarina, a invisibilidade social é uma das principais características dos povos e comunidades tradicionais. Até pouco tempo atrás, a inexistência de estatísticas e censos oficiais fez com que estes grupos elaborassem seus levantamentos preliminares numa tentativa de afirmarem sua existência coletiva em meio a tensões, disputas e pressões que ameaçam seus diretos étnicos e coletivos garantidos pela Constituição Federal de 1988 e, diversos outros dispositivos jurídicos infraconstitucionais[1].



Destas demandas surge, na região Sul, a Rede Puxirão dos Povos e Comunidades Tradicionais, fruto do 1º Encontro Regional dos Povos e Comunidades Tradicionais, ocorrido no final do mês de Maio de 2008, em Guarapuava, interior do Paraná. Neste espaço de articulação, distintos grupos étnicos, a saber: xetá, guaranis, kaingangs, faxinalenses, quilombolas,benzedores e benzedeiras, pescadores artesanais, caiçaras, cipozeiras, religiosos de matriz africana e ilhéus; tais segmentos se articulam na esfera regional fornecendo condições políticas capazes de mudar as posições socialmente construídas neste campo de poder. Ademais, a conjuntura política nacional corrobora com essas mobilizações étnicas, abrindo possibilidades de vazão para as lutas sociais contingenciadas há pelo menos 3 séculos, somente no Sul do País.



segunda-feira, 24 de setembro de 2012

ESTA CHEGANDO O 2º ENCONTRO DAS BENZEDEIRAS DO CENTRO-SUL DO PARANÁ



O Movimento Aprendizes da Sabedoria (MASA) realizará nos dias 09 e 10 de novembro de 2012, nas dependências do Centro Cultural do município de Rebouças o 2º Encontro das Benzedeiras do Centro-Sul do Paraná. 


Participarão do evento benzedeiras, benzedores, curadeiras, curadores, costureiras e costureiros de rendidura ou machucadura, rezadeiras, rezadores, remedieiras, remedieiros, massagistas tradicionais, parteiras e aprendizes de benzedura da região Centro-Sul do Paraná, além de autoridades, órgãos de pesquisa, entidades parceiras e movimentos sociais.

O objetivo do 2º Encontro é viabilizar um espaço para articulação e troca de experiências entre as Benzedeiras da região Centro-Sul do Paraná com intuito de fortalecer a luta do MASA pelo reconhecimento de direitos das Benzedeiras, por meio de diálogo com o poder público e elaboração de estratégias para superação dos conflitos étnicos, culturais, ambientais e sociais.

O “Encontrão das Benzedeiras” será sobretudo um espaço de diálogo,  primeiramente entre as Benzedeiras e num segundo momento entre Benzedeiras e poder público a fim de criar estratégias para o reconhecimento da identidade coletiva e cultural das Benzedeiras, bem como, seus serviços de saúde prestados gratuitamente à população.

Contatos e informações

E-mail: aprendizesdasabedoria@yahoo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário